Desenvolvimento Pessoal

O que você Consome também Consome você

Matheus Peracine
Escrito por Matheus Peracine

“As coisas que você possui acabam possuindo você” – Tyler Durden (personagem do famoso filme e livro, Clube da Luta)

Hoje você vai viajar comigo sobre dois pontos muito interessantes e que precisam, sim, entrar em pauta de discussão no seu dia a dia.

O primeiro ponto é sobre a ilusão de que possuímos as coisas e isso é o ponto-chave da felicidade em nossa vida, além de ser o marco entre sucesso e fracasso.
O segundo é compreender o que devemos realmente valorizar em nossas vidas e te despertar para a realidade.

Da maneira mais direta possível. Desde pequenos somos doutrinados a conquistar as coisas e seguir um padrão.

Estude, tire boas notas, seja bom aluno, trabalhe, estude mais, trabalhe mais, compre coisas, trabalhe mais e compre mais, arranje um amor para comprarem coisas juntos, se viajar compre mais coisas para provar que esteve lá, quando tiver um dinheiro sobrando compre para não perder a oportunidade e segue a beleza da vida.

Vamos falar a verdade. Comprar é bom, né? Ainda mais à vista. Você é tomado por um sentimento de poder e conquista. Mas o que acaba com toda essa graça vem em poucos dias depois.
Aquilo que era novo, cheiroso e todo bonito, já não tem mais graça. Parece que aquela felicidade se foi, se perdeu em algum lugar dentro dos cômodos da sua casa. E então aparece algo maior, mais novo e melhor. E claro… Precisamos ter aquele sentimento de volta e sacamos rapidamente o cartão estendendo para a atendente, contando os segundos para ela lhe entregar a sacola com sua nova fonte de paz e alegria.

O ciclo do consumo, mais do que algo extremamente danoso em nossa vida, guarda entrelinhas uma grande ilusão, maior ainda do que a falsa sensação de felicidade perpétua.
A grande ilusão tem um nome lindo e até uma estátua grandiosa… Liberdade.

Acreditamos que o número de coisas que adquirimos são grandes conquistas e que nos libertam da corrente da pobreza. Acreditamos que são grandes prêmios e que devemos cuidar com todo amor e atenção, limpando e polindo cada um deles para deixar nossa estante sempre brilhando para qualquer visita ver em nossa sala de estar.

Mas na verdade, tudo o que você possui acaba possuindo você.
Seu tempo, sua energia, seus pensamentos, seus cuidados… Você se empenha em cuidar de coisas mesmo sabendo que a terra irá comer e você não levará para o caixão.

Você se preocupa demais com seguros e maneiras de garantir que seus preciosos pertences não sejam furtados na calada da noite, ou ainda corram o risco de escapar pelas suas mãos.

E isso consome você. O que fazer, como fazer e quando fazer, tudo isso focado em bens materiais, que por si só, não tem valor algum, a não ser aquele que você dá para eles.

A questão não é viver na pobreza e ter apenas um fogão e geladeira em sua casa para não passar fome, mas compreender que existe um mínimo necessário e que ele é saudável, mas pode não ser a sua prova social de sucesso.
Nós todos sabemos como o mundo doente enxergar a todos.
Poucos ligam para a pessoa que somos mas muito importa o que temos, o que compramos e o que conquistamos.

A importância do TER é que destrói nossa trilha para a verdadeira paz e felicidade.
A importância do TER é o que leva as pessoas a terem dívidas ridículas, como ter um celular de última geração parcelado em 24x com juros altos, mas sem crédito para fazer uma única ligação.
A importância do TER é que faz alguns homens e mulheres abrirem mão do verdadeiro amor e buscarem alguém que se assemelha a um grande prêmio para expormos nas redes sociais.
A importância do TER é o que nos leva a um intenso stress para conquistar coisas perenes ao tempo e até a depressão, ao perceber que pode demorar para conquistá-las.

Estamos cuidando muito mais de diplomas do que da verdadeira sabedoria e conhecimento.
Estamos nos preocupando muito mais com a foto do Instagram do que a legenda.
Estamos cuidando muito mais do corpo do que da alma.
Estamos amando coisas e usando pessoas, quando deveria ser o contrário.

Conquiste sua casa, seu apartamento, sua empresa e o que mais desejar. Mas não confunda isso tudo com o que realmente importa. Nós todos merecemos uma vida abundante e que não falte nada, mas devemos focar e valorizar o que realmente faz a diferença no nosso dia a dia.

Talvez para você seja a família, amizade, amor, viagens, conhecimento… O importante é trazer para nossa vida tudo aquilo que realmente nos preenche, que não tem data de validade, que não precisa de ter guarda-costas ou um seguro caro.

Não deixe que coisas sem valor assumam um grande espaço na sua vida.

Finalizo com uma frase muito boa.

Certa vez conheci um homem tão pobre que ele só tinha dinheiro.
(Autor desconhecido)

Um grande abraço.
Matheus Peracine

Sobre o Autor

Matheus Peracine

Matheus Peracine

Escritor, Empreendedor e Mentor. Ajudo as pessoas a mudarem suas mentes e atitudes para conquistarem seus objetivos. Fundador do EU 2.0.

Comente

Deixe um comentário